Entertainment Spotlight, a página de entretenimento do Tumblr, se sentou com a atriz Stana Katic nos bastidores da participação dela no BUILD Series, na semana passada, para conversar sobre o seu papel de protagonista em Absentia como a agente Emily Byrne, patinhos de borracha e Star Trek. Confira a tradução e adaptação feita pelo SK:SBR.

Se você pudesse tem uma conversa com a agente do FBI Emily Byrne, o que você perguntaria a ela?
Um, cara, o cabelo, onde você vai para fezê-lo?

Há algum assunto sobre o qual você saiba muito?
Não, não sou esse tipo de pessoa. Eu nunca sinto que sei sobre as coisas. Eu adoro explorar e aprender sobre outras culturas e outras partes do mundo, história e espaço e coisas do tipo.

Existe algo que você seja uma super-fã?
Sim, um monte de coisas. Quando você fala de super-fãs, eu geralmente sinto que isso fala diretamente com essa parte, que é, eu sou uma grande apoiadora de assistir Star Trek. Sou uma grande apoiadora de um dia, espero, interpretar alguém com orelhas pontudas. Sou uma grande apoiadora de, espero, estar do lado dos mocinhos com essas orelhas pontudas.

Como você descreveria Absentia para uma criança de 5 anos de idade?
Querido, sabe aquela vez que você estava na piscina e o patinho de borracha não tinha mais ar nenhum nele? Você se lembra que ele balançou até o fundo da piscina e a gente quase perdeu ele, mas o seu tio Mike nadou até o fundo e pegou ele para você? Você se lembra como você se sentiu? Você ficou muito triste pelo patinho de borracha?

E a criança de 5 anos por sorte diria, “Sim.

É meio que a história sobre o patinho de borracha e a vida dele após esse momento que ele retorna do fundo da piscina, de novo.

Qual é a coisa mais memorável que já aconteceu com você no set?
Temos um diretor em Absentia que dirigiu toda a nossa primeira temporada, o nome dele é Oded Ruskin. Ele dirigiu o primeiro pedaço da segunda temporada. Ele costumava dizer: “Corta! Cortar! Certo! Ótimo! Impressionante! Obrigado!” e, sabe, isso ficava acontecendo. A gente desenvolveu um tipo de intimidade um com o outro e nós nos provocavamos entre as tomadas. Ele ficava tipo, “Ação!” e a gente ia, “Dirija!” E depois de um corte ele ficava, “Certo! Obrigado! Isso foi ótimo!“… e ele fazia outra cena e, por fim, cheguei em um ponto de dizer, “Eu aceito os meus obrigados em Manolo Blahniks.” E no final da primeira temporada, eu não acreditei, eu estava apenas zoando, sabe, e no final da primeira temporada eu ganhei essa caixa, essa linda caixa com um Manolo Blahniks de camurça azul. Eu fiquei tão impressionada, agradecida e chocada.

Se uma música tema tocasse sempre que você entrasse em uma sala, que música seria?
Teria que ser o tema do Bond, cara. Oi!

Você tira inspiração de alguém na sua atuação?
Depende da personagem. Às vezes é uma personagem histórica, às vezes é um animal, às vezes é uma personagem de desenho animado. Então, depende da personagem. Tipo, [a agente do FBI EMily Byrne] para mim é meio que uma mistura, para mim, de Edward Mãos de Tesoura com Harry Potter.

Se você fosse indicada para um prêmio por algo diferente da sua carreira, no que seria?
Eu gostaria de ganhar o Prêmio Nobel da Paz. [Risos] De verdade.