Por Christina Radish

A série de sucesso de drama da ABC, Castle, voltou para a sua terceira temporada e a Detetive Kate Beckett (Stana Katic) está magoada pelo fato de não ter ouvido uma só palavra de Richard Castle (Nathan Fillion), desde que ele deixou a cidade com a ex-esposa dele para terminar de escrever seu último livro. Então, quando ele aparece, inesperadamente, na cena de crime dela ele fica logo sabendo o que as ações dele lhe custaram.

Durante uma entrevista recente, a atriz Stana Katic revelou que ela adora interpretar alguém que ela vê como uma super-heroína, o quanto ela ama a fisicalidade da personagem e que ela gosta de poder mostrar o lado mais sexy de Beckett. Confira o que ela disse.

Collider: Como a decisão de Beckett de não declarar os sentimentos dela ao Castle a mudará na Terceira Temporada?
Stana Katic: Ele nem sequer liga para ela. Ele está de volta à cidade, autografando livros e nem sequer liga para ela. Como você pode não ligar para ela, especialmente após ele dizer que estaria de volta no Outono? É assim que isso afeta ela.

Collider: Por que a decisão de deixar a Beckett um pouco mais solta e mais sexy foi tomada?
Stana Katic: Qualquer garota que está em um ambiente de trabalho tem que ter uma certa quantidade de decoro, mas sempre há uma história diferente acontecendo quando ela vai para casa. Provavelmente, é isso que realmente atrai o Castle. Há momentos em que ela diz, “Talvez exista mais Nikki Heat em mim do que você imagina.” Isso está sempre lá e espero que continuemos a encontrar mais oportunidades de deixá-lo dar uma olhadinha nesses tipos de espaços. Mesmo se tivermos a oportunidade de vê-la fazer as coisas dela, em particular, sem ter a perspectiva de uma personagem da delegacia, acho que essas seriam oportunidades realmente fabulosas de ver o lado selvagem de Kate. E, então, você fica sabendo de coisas, como ela ter estudado na Rússia e ela poder se trocar rapidamente e se transformar em uma superespiã louca e maravilhosa. Esse tipo de coisa mostra o que ela tem em sua história.

Collider: O que você mais gosta na Beckett?
Stana Katic: Eu acho que ela é como uma super-heroína na televisão e estamos, aos poucos, explorando isso mais e mais. Ela tem uma enorme quantidade de integridade. Eu comecei a fazer mais cenas de ação ultimamente, o que é muito legal. Eles estão deixando a gente mostrar mais do lado mais sexy dela. Ela é complexa e ela também tem defeitos. Ela não é uma personagem perfeita, então há muito que brincar com isso.

Collider: Como é trabalhar com este elenco?
Stana Katic: É divertido. Trabalhamos longas horas. Trabalhamos de 14 a 17 horas por dia, então você se diverte. É muito bom poder trabalhar com um grupo de pessoas como este. Nossa equipe é de Arquivo X e eles tem trabalhado juntos por décadas. É uma equipe de longa data de pessoas que têm uma verdadeira familiaridade e uma vibe familiar no set, o que torna isso fácil.

Collider: Com toda a fisicalidade envolvida em interpretar Beckett, você está confortável com tudo isso, agora?
Stana Katic: Eu sempre estive confortável com isso. Eu adoro. Tenho muitos irmãos, é fácil para mim fazer as coisas físicas. Eu tive que sobreviver. Eu realmente amo isso e adoraria fazer mais disso. Eu quero fazer filmes de ação. Eu quero ir e ficar pendurada por fios, pular de pontes e estar pendurada em cordas elásticas. Eu sempre gostei muito disso.

Collider: Você gosta mais do mano a mano ou de usar as grandes armas?
Stana Katic: Mano a mano, porque é [como se fosse] uma dança e é lindo quando você consegue. Eu acabei de fazer esse filme com o Richard Gere onde eles fazem muito Systema, que é uma forma de arte marcial russa que a KGB estava fazendo em segredo. O que você faz é desarmar uma pessoa e matá-la, sem que ninguém ao seu redor saiba. Parece que você está apenas tocando em alguém, mas, na realidade, eles sabem todas essas partes loucas de uma pessoa que podem te matar.

Collider: Se você pudesse interpretar qualquer super-heroína em um filme, quem seria?
Stana Katic: Rob Bowman, que é um dos nossos produtores executivos, dirigiu Elektra e eu não sabia disso. Elektra foi a primeira personagem para a qual eu fiz teste. Eu era tão nova que eu dirigi de Toronto para Chicago para fazer o teste para o papel, eu tinha 18 ou 19 [anos]. Eu achei que era muita sorte. E, depois, Frank Miller me desenhou como Elektra e me deu sua edição pessoal dos quadrinhos de Elektra que ele tinha desenhado. A nova Mulher-Maravilha é muito durona. Eu adoraria interpretar Talia al Ghul, que eu interpretei no novo Batman Asylum, para o vídeo game. Eu adoraria interpretar ela. Eu acho que Liam Neeson é tão impressionante e eu adoraria atuar ao lado de Christian Bale e dos outros. Recentemente, eu li Scarlett e foi um quadrinho excelente. Há uma grande lista de garotas estupendas que estão detonando.

Read English version