Por Ralph Cirella

[haiku url=”http://www.stana-katic.com.br/wp/wp-content/uploads/2013/10/Stana-Katic-on-GEEKTIME.mp3″ title=”Stana Katic no My Geek Time” graphical=”true”  showtime=”true”]

Clique no player e aguarde a entrevista carregar.

Ela já foi uma BondGirl, a voz de Lois Lane e fala 5 idiomas. Mas o mais importante, ela fica melhor a cada temporada de “Castle“. Estrelando no novo filme “CBGB“, por favor, deem às boas vindas a Stana Katic.

Ralph Cirella: Como você está? É ótimo te conhecer. Eu estava lhe dizendo quando você entrou, eu assisto “Castle” há alguns anos e adoro você na série. Estava muito animado para ver o filme “CBGB“, do qual você faz parte e eu acabei de assisti-lo. Eu realmente gostei. Eu não sabia e, isso é interessante, o que CBGB queria dizer: Country, Bluegrass, Blues.

Stana Katic: Isso.

Ralph Cirella: E eu não conhecia a história do dono, que é o que o filme conta. Então, como você chegou a esse projeto? Você sabia alguma coisa sobre o CBGB antes disso? Digo, todos o conhecem, mas o que você sabia disso?

Stana Katic: Bem, o que eu sabia dele é que eu entrei escondida quando eu tinha 17 anos.

Ralph Cirella: Sério?

Stana Katic: É. Eu estava estudando em Boston e demos uma fugidinha para NY por um fim de semana. Era minha primeira vez na cidade e meus amigos que estavam comigo falaram “Ei, tem esse club de rock muito bom que temos que ir.” E eu não conhecia muito sobre o CBGB na época, eu nem sabia que era essa Meca maravilhosa onde os Ramones, a Debbie Harry, Blondie, Patti Smith e todos eles…

Ralph Cirella: The Police.

Stana Katic: Isso!

Ralph Cirella: Eu também não sabia que o The Police começou lá, e… aquele que morava do outro lado da rua… os Talking Heads.

Stana Katic: Pois é!

Ralph Cirella: O cara que interpretou David Byrne se parecia muito com ele.

Stana Katic: Foi maravilhoso! Ele é maravilhoso!

Ralph Cirella: Eu fui lá uma vez e, eu não sei, mas não era super legal. Digo, sempre foi super legal, mas faz quanto? 10 anos. Ainda era um lugar legal, mas estava abafado, pegajoso e meio nojento e eu fiquei “Uh, ok. Tenho que sair daqui.” Patti Smith não estava tocando lá, não foi super legal.

Stana Katic: Não nessa noite.

Ralph Cirella: Mesmo para o Lower East Side, era uma bagunça.

Stana Katic: E alguém comprou o interior e acabamos gravando no antigo bar. Acabamos trazendo muito do interior do club para Savannah, que é onde gravamos a maior parte do filme. Fizemos muitas cenas externas aqui, mas muitas cenas internas foram em Savannah.

Ralph Cirella: Isso é interessante. Eu estava pensando nisso, pois eu estava “Ok, onde eles gravaram isso?“, porque obviamente em você consegue ver que é New York, e quando você entra você disse que aquele era o bar original. Isso é legal.

Stana Katic: Sim, foi muito legal ver os adesivos antigos e o grafiti e as marcas que as pessoas deixaram.

Ralph Cirella: Isso é legal. Conte-nos um pouco sobre sua personagem. Você é tipo uma produtora.

Stana Katic: Isso, minha personagem é Genya Ravan, e ela era amiga de Hilly. Ela foi a vocalista da primeira banda de rock só de garotas em NY e ela foi uma força para a época no cenário musical. Ou ela tocou ou dormiu com os melhores e maiores do rock. E eu tive a chance de conhecê-la quando eu soube que eu a interpretaria. Ela ainda é uma força na música, ela ainda toca aqui na cidade. Na época ela foi trazida por Hilly para produzir os Dead Boys e eu acho que Hilly viu uma grande quantidade de sucesso com os Ramones, e disse “Eu quero fazer algo assim também”, pois ele estava trazendo muitos artistas e lhes dando oportunidade para se apresentarem e ter uma voz. E foi uma coisa sabia a fazer, tentar na verdade ser parte de criar uma carreira para eles também. Então ela foi trazida para ajudar com os Dead Boys.

Ralph Cirella: E infelizmente ele meio que apostou no cavalo errado. Ele foi para os Dead Boys e eles eram…

Stana Katic: Os Dead Boys, é. Eles eram muito punk rock!

Ralph Cirella: E assistindo ao filme, isso me deixou um pouco chateado, porque ele fez todas essas pessoas famosas, começou todas essas carreiras e deu um lugar a eles e as pessoas eram atraídas para lá, e daí ele foi “Ok, vou apostar.” e ele escolheu os Dead Boys para apostar e não deu muito certo.

Stana Katic: Parece que foi uma espécie de parte de sua sorte na vida, ele não era um bom economista, mas ele meio que criou um espaço seguro que nos trouxe todos que trouxe. Como falamos, Iggy Pop, The Police, Debbie Harry e assim por diante.

Ralph Cirella: É por isso que você quis fazer o filme? Você gosta desse tipo de música?

Stana Katic: Eu amo! Eu amo e queria fazer parte de um projeto que cobriria um período da história do rock. É muito interessante, o club começou a dar frutos no final da década de 70 e isso é uma parte incrível da história da música. E durou até 2006, 2007 e finalmente teve que fechar as portas. E eu queria fazer parte disso, não importava o quão pequena ou grande essa personagem seria.

Ralph Cirella: Falando sobre “Castle“, eu sei que eu falo pras pessoas que essa é a hora dos geeks. E eu digo que você não acharia isso, mas “Castle” é uma série muito geek. Digo, você está perseguindo um lobisomem, monstros, alienígenas, todo tipo de coisa. E eu adoro a série, é muito divertida.

Stana Katic: Obrigada.

Ralph Cirella: E vocês fizeram algo nessa série que eu acho que é incrível. Geralmente é o beijo da morte, você e Castle ficaram juntos.

Stana Katic: Sim.

Ralph Cirella: Depois de todas as temporadas, de idas e vindas, e do vai-não-vai. E geralmente isso não funciona. Isso deve ter sido uma preocupação para a série, não? Como vocês fizeram dar certo. Vocês têm uma ótima química, então isso deve ter algo a ver.

Stana Katic: Obrigada. Sabe, o produtor e roteirista principal Andrew Marlowe era um grande fã de filmes como “A Ceia dos Acusados” e isso é uma referência de coisas mais velhas, então as pessoas podem não estar familiarizadas com isso. Mas nessa história as duas pessoas são investigadores de crimes e eventualmente eles se casam nesses filmes e eu acho que ele viu o potencial, pois vendo o sucesso desse tipo de filme e também sendo fã da combinação de Cary Grant e Katherine Hepburn. Então eu acho que isso ecoou mais do que outros pontos de referencias que as pessoas tinham. Então eu acho que foi meio… Tinha essa trajetória desde o começo.

Ralph Cirella: É engraçado que você mencionou Cary Grant, pois Nathan Fillion meio que tem essa vibe dele.

Stana Katic: Ele é muito engraçado.

Ralph Cirella: Muito engraçado, um cara bonito.

Stana Katic: É.

Ralph Cirella: Engraçado, pois há um tempo, logo antes de ele falecer nós entrevistamos Stephen J. Cannell. Foi há alguns anos e eu não estava familiar com a série e estávamos falando sobre Rockford. E ele disse que só havia um cara que ele conseguia ver interpretando James Rockford e eu perguntei quem? E ele disse “Nathan” e disse “Eu não sei quem é” e ele “Ele está numa série de TV, Castle.” e foi assim que comecei a assistir sua série.

Stana Katic: Stephen Cannell tem sido parte da série desde o começo. Ela foi um mentor querido de um dos nossos diretores principais, Rob Bowman. E Rob e muitos da equipe vieram de Arquivo X. Talvez as pessoas não saibam disso, mas a maioria de nossa equipe passou 4 ou 5 anos em Arquivo X. Então todos eles meio que se juntaram e ele influenciou muitas pessoas que fizeram parte de nossa série.

Ralph Cirella: É daí que… Há muitas referências geek lá, e acho que é porque as pessoas vieram de Arquivo X. Digo, aquelas coisinhas que quem não conhece não percebe. Geralmente é Castle que fala essas coisas. E claro que Nathan Fillion é um Deus dos geeks então ele provavelmente coloca um pouco disso lá também, certo?

Stana Katic: Alguma coisa é. Andrew Marlowe é um cara muito esperto também e um geek em segredo, acho, então alguma coisa é só porque é de seu interesse e porque é divertido. Sabe, todo esse mundo e qualquer coisa de fantasia ou do reino de alienígenas do espaço é divertido. E também, claro, temos o pessoal de Arquivo X e os atores também que também dão palpites, pois eles se tornam fãs de séries como “Game of Thrones“, a lista é longa.

Ralph Cirella: Todas essas coisas são tão populares agora. E sua série é tão divertida e eu acho que outra coisa que você faz que é muito divertida na série é que vocês fazem cliffhangers muito bem.

Stana Katic: É?

Ralph Cirella: É. Você não vê mais isso em séries. Você vê um final de temporada, grandes acontecimentos, mas você fez…

Stana Katic: Ela vai dizer sim ou não?

Ralph Cirella: Isso. No começo da temporada. O que é ótimo, e você disse sim. Alerta de spoiler. Mas agora você se juntou ao FBI ou CIA, não sei. Qual departamento, FBI?

Stana Katic: É engraçado, é do Gabinete da Procuradoria Geral.

Ralph Cirella: Ok. Certo.

Stana Katic: Há um monte de gente no set usando isso.

Ralph Cirella: O Gabinete da PG. Para onde a temporada irá com Castle? Eles irão voltar para New York? Ela vai ficar aqui?

Stana Katic: Estamos em New York nessa semana, segunda-feira estaremos em NY, hoje. E nós, tradicionalmente Beckett está do outro lado, com o resto da polícia de NY. E nós vimos pessoas como Adrian Pasdar e Dana Delany que representam…

Ralph Cirella: Dana Delany estava ótima. Acho que eram dois episódios…

Stana Katic: Isso.

Ralph Cirella: Foi uma história muito legal.

Stana Katic: Sim. Nós vimos esses personagens que vieram representando o FBI ou a CIA e completamente se apoderarem do caso. E agora Beckett está desse lado das coisas e tem que vir para New York…

Ralph Cirella: Oh, isso é legal.

Stana Katic: E se apoderar do caso.

Ralph Cirella: Oh, essa é uma ótima maneira de trazê-la de volta. Pois eu estou imaginando como eles a trarão de volta, eles têm que traze-la de volta! Essa é uma ótima maneira de trazê-la de volta.

Stana Katic: Sim.

Ralph Cirella: Ok, então eu não tenho nenhuma reclamação sobre “Castle”.

Stana Katic: Oh, Deus.

Ralph Cirella: E eu não tenho queixas sobre “CBGB”. Foi um filme ótimo. Foi ótimo vê-la. Essa é Stana Katic, você pode vê-la em “CBGB” em um cinema perto de você e claro, toda segunda-feira às 22:00 na série da ABC, “Castle”.