No início do ano, Stana Katic, a atriz de Hollywood de origem sérvia, esteve em Mećavnik para o 12º Festival Internacional de Cinema e Música de Küstendorf, onde mostrou o seu imediatismo e humildade para o público. Na ocasião, a atriz foi entrevistada pela Blic TV Magazine, conta o site Hello.

Mečavnik foi um encanto, ele definitivamente é um lugar especial no mundo. Lindas pequenas cabanas de madeira espalhadas pela montanha, é como num sonho. Durante esses sete dias, tive a oportunidade de estar no círculo de incríveis artistas como Michel Amathe, Slobodan Despot, Tankred Ramone e Ilaria di Carla. Graças a Kusturica, tive a oportunidade de me sentar com todas aquelas pessoas maravilhosas, aprender com elas, trocar ideias, explorar as potencialidades do cinema e isso foi inestimável para mim. Além disso, fiquei com uma impressão especial, pois pude passar um tempo com os moradores locais e bebi conhaque.

Ela é otimista sobre o cinema dos Balcãs, porque ele tem um simbolismo proeminente e está cada vez mais feliz que haja mais nomes femininos entre os diretores.

Acho que, no momento, existe um cinema excelente que vem de todos os Bálcãs que carrega um simbolismo expressivo. Fico sempre ansiosa em ver algo novo vindo desse lugar. Estou muito contente que as mulheres estejam cada vez mais representadas neste tipo de arte. As jovens mulheres pegam a câmera em suas mãos e fazem ótimos projetos que transmitem uma mensagem e conscientização internacional.

Recentemente, ela trabalhou em um projeto na Bulgária e teve a oportunidade de conhecer nossa região. Ela ficou particularmente encantada por Belgrado que, ela diz, estar mudando a um ritmo incrível.

Na ocasião, visitei a sua capital, Zagreb, Split e algumas partes de Montenegro. Fiquei surpreso com o quanto Belgrado estava mudando para melhor. Restaurantes incríveis, ótimos hotéis e acho que ela é agora o que Berlim era há dez anos. Além disso, acho que a Europa está muito consciente do que Belgrado é hoje, eles até a chamam de “cidade festeira”.

A atriz ainda acrescentou que o seu conhecimento pela língua sérvia é modesto.

Eu entendo sérvio e falo muito bem, mas prefiro dar mais entrevistas em inglês para que não haja mal-entendido, pois esta ainda é a língua em que trabalho. Mas se fossemos tomar um café, tenho certeza de que falaríamos um pouco da língua sérvia e inglesa e que seríamos perfeitamente compreendidos.

A atriz ressalta que, embora tenha interpretado o papel de detetive, nunca poderia se imaginar na vida real como uma agente que lida com essas histórias difíceis.

Eu sou muito otimista quando a humanidade está em questão, eu amo e estou tentando buscar a bondade e ver a beleza em tudo. Acho que aqueles que estão envolvidos neste negócio devem ter a capacidade para [aguentar as] coisas ruins e terríveis que estão acontecendo neste mundo.