Com a estreia de Absentia acontecendo na segunda-feira, 25 de setembro, o jornal espanhol El Mundo publicou um artigo sobre a série. Confira a tradução feita pela equipe do SK:SBR.

Stana Katic, perdida, mas encontrada depois de Castle

por Alberto Rey

Maria Feldman poderia ser mais uma ajudante de produção, com seu casaco e suas botas sujas de barro, mas ela é a produtora de Absentia. “O imóvel é propriedade do rei,” ela diz em um inglês com forte sotaque israelense, enquanto serve de guia através do parque que mais parece um bosque. Em Sofia, o rei a que Feldman se refere é o Simeão II da Bulgária.

Ali, se reproduziu a costa leste dos Estados Unidos, onde se passa a série que a AXN estreia nesta segunda-feira, às 22:05, na Espanha. A vegetação é similar e o dominante (mal) tempo, também. No meio do parque-bosque, um casebre. A construção sombria é um dos primeiros cenários que o público verá em Absentia, pois é lá onde eles encontraram a agente Emily Byrne que foi dada como morta, após o seu desaparecimento, seis anos atrás. Esse é o ponto inicial da série que traz Stana Katic de volta para a televisão atual, após 8 temporadas de Castle.

A estrela aparece em um intervalo das gravações, com o cabelo encharcado e com sangue (supostamente artificial) escorrendo de sua testa. Katic, além de protagonista, é a produtora executiva de Absentia. O roteiro do episódio piloto, escrito pela jovem Gaia Violo, deu algumas voltas antes de cair nas mãos de Stana Katic, através de seu agente. “Como produtora executiva, provavelmente estou mais atenta aos detalhes do que só quando atuo,” reconhece a atriz. Antes da pergunta sobre a (falta de) sofisticação do figurino, ela brinca que essa é uma história sombria, apenas com um alívio cômico. Para se preparar para a sua personagem, Katic pesquisou casos de mulheres submetidas a sequestros longos. Isso ela conta já sentada no hotel de Sofia, onde ela recebe a imprensa, conveniente preparada como uma estrela (e produtora) em plena divulgação da série. “Estamos fazendo um filme independente para a televisão,” ela comenta entusiasmada, tendo muito cuidado para não revelar detalhes da trama.

Patrick Heusinger, seu marido na série, também não entra no campo dos spoilers. Para ele, acostumado à ficção televisiva em papéis secundários ou ocasionais, Absentia significa a possibilidade de trabalhar com o diretor Oded Ruskin. Depois de assistir a um episódio de False Flag, a série anterior de Ruskin, Heusinger decidiu que necessitava trabalhar com ele, como conta.

A colaboração de diretor-produtor de False Flag, Ruskin e Maria Feldman, é repetida em Absentia. Quando eles respondem juntos às perguntas dos jornalistas, eles aparecem como uma equipe bem engrenada. Algo essencial, se você tiver que lidar com mais de 60 localidades, mas apenas 62 dias disponíveis para gravar uma temporada de 10 episódios. Para eles, representantes da cada vez mais influente ficção da TV israelense, Absentia é a entrada deles pela porta da frente na ficção da TV americana. Mas eles afirmam manter o sistema com o qual eles produziram False Flag ou, no caso de Feldman, Fauda. Agora, eles estão a serviço de uma estrela de televisão internacional que tem, e sabe, todos os olhos nela. Absentia é “a nova série de Stana Katic” e a resposta à pergunta “o que Stana fará depois de Castle?” A resposta: se arriscar e gravar na Bulgária uma série produzida por ela mesma.

A personagem dela em Absentia esteve desaparecida por 6 anos. No entanto, para uma estrela de TV, 16 meses (o tempo que se passou desde o fim de Castle) podem ser muito mais longo.