Stana Katic é a capa e o recheio da revista sérvia Gloria. Em uma entrevista exclusiva feita por Boris Jakic, a atriz fala sobre sua carreira e recentes projetos, sua quarentena em época de pandemia e sua família. Confira a tradução da matéria na íntegra a seguir.

A atriz de origem sérvia de maior sucesso de Hollywood, sedutora e charmosa, diz em uma entrevista para a Gloria que ela adoraria estrelar em um filme local e revela que recebeu propostas e comentários indecentes de homens poderosos.

Embora os cineastas locais não a tenham ligado por enquanto, a grande estrela de Hollywood de origem sérvia, Stana Katic (42), afirma que ela gostaria de atuar em um filme ou série nacional, desde que goste do roteiro. Em entrevista à Gloria, a estrela das séries super populares Castle, Absentia e 24 Horas e dos filmes Codinome Cassius 7, Lost in Florence e Big Sur diz que durante sua carreira recebeu ofertas e comentários indecentes de homens poderosos e menos poderosos, explica que outras atrizes sérvias como Branka Katic, Mila Jovovic, Sasha Aleksander e Bojana Novakovic são muito respeitadas em Hollywood e revela que aproveitou a pandemia por dois motivos: ela teve mais tempo para a família, especialmente para seu marido Kris, e cultivou frutas e vegetais em seu jardim.

A sua nova série, Absentia, na qual você interpreta o papel principal, está se tornando cada vez mais popular tanto no mundo quanto na Sérvia. O quão satisfeita você está com este feito?
Me juntei ao projeto em novembro de 2016 como atriz e produtora executiva. Estar envolvida em cada parte da criação da série, desde com a escrita do roteiro até fazer as três temporadas, foi uma ótima experiência. Mesmo que não tivesse muito tempo para dormir, estou muito satisfeita. Durante o processo de trabalho, eu tinha a esperança de que todos que participassem do projeto dariam sua contribuição pessoal para que ela ficasse como queríamos. E, por fim, acho que criamos uma história que todos da nossa equipe multinacional podem estar orgulhosos, e isso inclui pessoas da Polonia, Suíça, Bulgária, Israel, Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha, África do Sul e Austrália. Foi um esforço em conjunto para gravar um bom suspense. A equipe maravilhosa trabalhou duro para fazer com que Absentia chegasse ao público de todo o mundo.

Como você criou a personagem Emily Byrne? Você trabalhou nela por muito tempo?
Emily Byrne foi criada pelo roteirista, pelo criado e daí a colocamos junto do contexto da história. Graças ao showrunner Will Pascoe, a personagem e suas ideias estão muito claras: ele queria transformar a Emily de uma mulher que sobreviveu a tortura a uma pessoa forte. Para ele, foi a evolução de uma personagem que apanhou, mas que retornou para a luta. Ela carrega a história de uma heroína que, por sua recusa em se ceder, mostra o caminho para todas as comunidades vulneráveis. E de uma forma muito inesperada, a história tornou-se cada vez mais relevante no mundo de hoje em que a responsabilidade deve ser inspirada por atos heroicos.

Como você vê Kate Beckett, a personagem que você interpretou na serie muito popular Castle por sete anos?
Eu olho para ela com muita simpatia, Kate era tudo que uma mulher pode ser: forte, esperta, vulnerável. Eu a admiro e sou grata por ela ter feito parte da minha vida.

Este é o papel mais importante de sua carreira?
Todo papel que eu interpretei ou interpretarei é o mais importante naquele momento. Agora, estou ocupada com a Mulher-Maravilha, que eu dublei no filme de animação Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial, produzido pela Warner Brothers no qual, entre outros, Matt Bomer aparece. E mesmo não sendo um filme de cinema, acredito que dei a essa personagem emoção e sensibilidade como fiz com qualquer outro projeto. Portanto, como podemos ver, não tenho uma lista dos meus papeis principais.

Recentemente, sua colega sérvia Milena denunciou um professor de teatro por estupro e abuso sexual. Você está familiarizada com isso?
Não estou a par do caso.

Você já foi exposta a comentários grosseiros e ofertas de homens poderosos?
Claro, às vezes estas ofertas e comentários vieram de homens não tão poderosos.

Como você reage quando a mídia nacional te apresenta como a atriz sérvia mais bem sucedida em Hollywood?
Ugh, eu diria para olharem para a Branka Katic – ela não é minha prima -, Mila Jovovic, Sasha Alexander, Bojana Novakovic e muitas outras mulheres de origem sérvie que são impressionantes e bem sucedidas. Também é interessante falar delas.

Seu pai faleceu recentemente. Como você lida com essa grande perda?
Sinto muito, mas isso aconteceu recentemente e é um assunto muito íntimo, portanto não gostaria de responder esta pergunta. Espero que você entenda.

Quantos dos seus parentes vivem em Belgrado e na Sérvia?
Eu não fiz as contas, mas suspeito que meus parentes fizeram uma aposta com Genghis Khan sobre quem poderia estar em mais países. Tipo em uma novela espanhola, parece que estamos em todo lugar.

Você mantem muito contato com eles?
Isso daria muito trabalho. Muitas vezes, quando eu estava gravando em lugares remotos, meus pais me davam uma lista de familiares previamente desconhecidos os quais eu deveria procurar. Devemos ter sido coelhos em uma vida passada.

Quando podemos esperar você novamente em Belgrado ou na Sérvia?
Vou surpreender vocês como um ladrão no meio da noite.

Você recebeu alguma oferta de atuar em algum filme sérvio? Se não, você aceitaria a oferta?
A essa altura da carreira, aceitar novos papeis dependem unicamente da qualidade do roteiro. Se há uma boa história, sempre estou interessada. O país de origem não tem um papel especial nisso. Por exemplo, recentemente fiz um filme em que a produção foi feita na Hungria, Estados Unidos e Reino Unido. O filme é sobre a rede de espiãs da Segunda Guerra Mundial. Interpretei o papel de Vera Atkins, uma personagem real da história que inspirou Ian Fleming, o criador de James Bond, a criar a personagem Miss Moneypenny. Vera Atkins era a chefe dos espiões, Fleming disse sobre a mulher que eu interpretei. Fico surpresa de que a história de vida dela ainda não serviu de inspiração para um roteiro de filme. Há muitas histórias incríveis para serem contadas, se alguma delas for sérvia, ficarei muito feliz. Mas até que me chamem, estarei trabalhando no meu canto do mundo.

Você conhece algum dos atores sérvios que estão trabalhando vivendo e trabalhando em Los Angeles nos últimos anos, como Nikola Ðuričko o Stefan Kapičić?
Não tive a oportunidade de conhecê-los.

Quanto a pandemia covid-19 mudou sua rotina?
Tento funcionar melhor que posso, dada as circunstâncias, acho que o mesmo acontece com as outras pessoas. As mudanças foram devastadoras e cômicas, ao mesmo tempo. Houve uma mistura inimaginável de extremos. Apesar de tudo, há dias em que sou grata por este estranho e inesperado presente na forma de tempo livre que passo com minha família, especialmente com meu marido Kris. Antes da pandemia, estávamos na estrada sem parar por causa do trabalho, agora estamos presos em nossa casa na Califórnia. Embora Kris não tenha parado de trabalhar, temos muito mais tempo para ficarmos juntos. É um presente precioso, descobri que meu sentimento de admiração por ele foi aprofundado. Estou muito feliz com isso. Além disso, acho que nosso cachorro está extremamente feliz pela atenção e amor que ele recebe de nós agora. Além de tudo isso, o tempo que passamos com a família criou lembranças que são um tesouro para toda a vida. Durante as várias fases de quarentena, percebemos o quanto poderíamos ajudar alguns membros vulneráveis ​​de nossa comunidade. Nos tornamo fazendeiros, cultivamos nossas próprias frutas e vegetais em nossos jardins. Todos tiveram contato com a terra: desfrutamos das tulipas da minha irmã, das batatas do meu pai, do tomate da minha mãe, do meu amaranto… Aliás, deixe-me dizer, nesta temporada plantamos abacates de primeira qualidade. Convido você a vir experimenta-los, embora seja difícil de fazê-lo por cauda da Covid. De qualquer forma, tentamos fazer o melhor que podemos nas circunstâncias dadas. A época da pandemia nos reuniu sob o mesmo teto e posso dizer que está muito mais fácil. Até minha sobrinha de cinco anos me filmou com uma câmera de testes. Não demorou muito para explicar a ela como segurar corretamente a câmera e focar. Logo em seguida, ela disse “ação” e me corrigiu quando eu falei o texto errado.

Você e Kris planejam ter filhos?
Por que? Está se oferecendo para ser o padrinho?